quarta-feira, 27 de março de 2013

segunda-feira, 25 de março de 2013

Girl on girl action

O fim de semana foi generoso para mim. Embebedei-me, chapei-me, e dei uns amassos...com uma gaja.
Vá Mata Hari, volta e meia a vida sorri-te pelos lábios de uma loira boazona.

Foi assim...
Então a danadinha ria-se e bebia. E dançava. Parecia uma serpente a enfeitiçar-me. Quase toda vestida  de preto, com umas leggins de cabedal, mostrava tudo. Não é propriamente uma mulher voluptuosa nem curvilínea. É assim mais para o alta e magra, surpreendentemente atlética. Sempre a rir-se de tudo. Sempre marota e pronta para a brincadeira.
Quem é a gaja? Simplesmente a maior boazona do meu escritório.
Ainda nem sequer estavamos pedradas, mas já havia marotice. Quantas vezes eu na brincadeira me despedia dela, e perguntava « Então e o meu chocho?» «Não é hoje que me dás um chocho?»  Parece que andou a acumular os chochos para os transformar em linguados. Nunca me apetece ser uma boa menina perto daquela gaja.
E bebemos, e fumámos e dançámos toda a noite. No meio da festa, mesmo no meio da pista de dança de uma festa temática para comemorar o ano novo muçulmano, a gaja abre a echarpe, como se fosse uma dançarina do ventre e envolve-me com ele. Começámos-nos a beijar ali mesmo, debaixo do véu. Ela esfrega-se em mim e beija-me. Parecia uma súplica dela..« torna-me sexy» Oh gaja...tu és a epítome da lasciva. Eu suavemente beijo-lhe o lábio inferior e deixo-o escorregar entre os meus dentes. E a moça abraça-me e beijamos-nos sem complexos, as nossas mãos percorrem o corpo uma da outra. Entretanto o véu que nos escondia cai no chão. Ela nem se apercebe e eu continuo como se nada fosse. Com beijos no pescoço, a descer até ao meu peito. Bem esta ainda me arrepia toda. Isto perante a incredulidade de umas quarenta pessoas, todas da terra do amahdinejah.
Se isto fosse um filme, teria o título « Duas bad girls em Meca».
lesbian kiss

quarta-feira, 20 de março de 2013

What bad girls like

Depois o último post neste blog pus-me a pensar...porque raio eu gosto daquele gajo? O tipo não tem nada. É gordo...não é cheiinho...é mesmo gordo. Tem uns olhos azuis assim como o Cristopher Lambert, fora isso nada, e eu nem sou muito adepta de olhos azuis.
Mas que raio...foda-se. Porque é que este desatino não pára de bater?
Bem...eu sou uma menina má...mázinha. Daquelas que se o apanhava a jeito lhe dava uma foda numa qualquer casa de banho. Ou lhe faria um broche debaixo da mesa durante uma reunião de trabalho. Talvez lhe desse uns amassos valentes a contra-relógio num canto 5 minutos antes da mulher dele chegar. Assim mázinha. Mázinha o suficiente. Mas orgulhosamente mázinha.
Sei que o gajo está muito abaixo do meu campeonato. Ele também sabe disso. Mas o meu desejo é doente e é aquele.
É o bad boy armado em empresário e homem de família. Mas no fundo não passa de um bad boy. Doente como eu. Desatinado. Digo-te bad boy, podes tentar levar uma vida séria e tal...mas a tua essência continua aqui nesta doença que nos atrai e repele, neste amor ódio que nos faz sentir vivos.
E volta e meia desprezas-me, só para me atraíres ainda mais. Porque as meninas más gostam dos homens com atitude, que sabem que elas lhe vão comer à mão. Posso lutar contra isto, e luto, mas é tão em vão.
Que se foda! Uma pessoa tem de ter um lado negro, e este é o meu...és tu meu flirt. Porque as bad girls gostam sempre dos bad boys!

segunda-feira, 18 de março de 2013

Essa língua...


Just shut up and lick motherfucker

Este post vai dedicado a um certo flirt com muita língua.
Caríssimo...pelas vezes que esbardalhaste aos quatro ventos
 « Eu fodo tudo »
« Elas comigo não dormem »
« Ah e tal, nem imaginas o que te vou fazer »
« Eu sou um tarado do pior »
Agora imagino...absolutamente nada!  Porque o menino não pode postar qualquer merda mais picante no facebook que vêm logo umas vinte almas caridosas, incluindo mãe, irmã, primo afastado, aquele amigo do secundário....tudo a dizer
« ****** tens mulher»
«completamente fora de questão, ******, és um homem casado»
« Meu filho...tem juízo, olha a tua esposa»
Qual é a lógica disto? Alguém me explica? Foda-se....eu juro, e quem conhece a peça pode confirmar que esta merda está no face dele.
Já sei...o cabrão precisa de ser constantemente lembrado que é um homem casado porque toda esta gente estava presente no casamento dele excepto ele mesmo. Passou o Yes I do por procuração, e agora está-se sempre a esquecer, tipo guppi  no aquário. Então, este exército de gente serve para lhe lembrar o que o homem tão desesperadamente quer esquecer: que é um homem casado.
E cheio de língua. Mas é só isso.
Essa língua....estava bem era entre as minhas coxas a fazer-me um minete. Boa semana motherfucker.

FUCK YOU



sexta-feira, 15 de março de 2013

Sabedoria da Ana II

Mais uma perola de sabedoria da bitch:

«Prefiro um gajo que dê umas voltas por fora (sem eu saber, claro) e que depois viva a relação que temos, do que um sonsinho que não me meta os cornos mas também não me dê nada.»


Acho que vou pedir a gaja em casamento.

segunda-feira, 4 de março de 2013

Sexy boss


Hoje preciso de miminhos...
Não é que me tenham fodido sem me apalparem as mamas, mas quase.
Tive um sonho erótico com o meu chefe. O gajo é um homem vulgar...não é nenhum sonho, mas também não mete nojo aos cães. Só que tem estado estes anos todos na categoria «Infodível». Por uma questão de conveniência e profissionalismo penso eu.
Mas desta vez o gajo fodeu-me. E fodia tão bem, mas tão bem no meu sonho que hoje, pela primeira vez ponderei saltar-lhe à cueca. E apalpava-me e beijava-me como um senhor (doutor que é)! Ah seu filho da mãe...que me fizeste acordar toda molhada e extasiada.
Só faltava hoje foderes-me da pior maneira...e mesmo assim não consigo deixar de estar excitada.
Como é que as pessoas podem ser sexys em sonhos e nada atraentes na vida real? Porra para isto? Como é que passo a noite a foder um gentleman, e o dia a trabalhar com um fodinhas??
Eh pá...ajudem-me!
E para chover no molhado, o meu bro estragou-me uma das músicas mais românticas que conheço...yoooou bastard! E o meu flirt assumiu publicamente que uma das músicas mais épicas de todos os tempos era dedicada à sua raivosa esposa. Yoooooooou bastard! Ecstasy of gold. Era a música que me fazia pensar em ti, seu sem pescoço!!! Mas chupava-te até ao caroço :((((